27/01/09

...

"Quando pela primeira vez entrou na sala sentia uma estranha tranquilidade, ainda que as ideias não lhe parecessem firmes e a voz lhe soasse trémula. Não obstante entrou com determinação, confiante que aquela era a decisão acertada. Podia não ser mas acreditava que sim e acreditar era quanto bastava no momento. Ou não seria…

A pouco e pouco as luzes foram-se tornando suaves, até desaparecerem por completo qual lua adormecida em final de noite. Os sons atenuaram-se como cânticos longínquos e deixou-se levar como numa embriaguez, pela sensação de leveza, levitando num espaço e num tempo exclusivamente seu. Ou de ninguém...

Quando acordou nada lhe parecia real, reconhecível, familiar, nem o seu próprio corpo, nem o seu ser, nem o seu eu. Do sonho restara apenas um vácuo, do antes não sobrara nada para além de um odor a perfume, uma imagem difusa, um paladar amargo, uma textura desconhecida, um som abafado. E o medo, o terror que não tivera ao entrar, sentia-o agora ao acordar. E a dúvida que antes atormentara, estava agora esquecida ou substituída pelo mar de interrogações que lhe assolavam um cérebro confuso. Desordenado…

Restava-lhe juntar os cacos, arrumar a casa e preencher os espaços vazios. Ou a memória…"




19 comentários:

DANTE disse...

E já agora lavar a loiça e despejar os cinzeiros que aquilo tá uma porcaria. lolololololol

Bom texto como sempre :D

Jokas :)

osbandalhos disse...

"É antes do ópio que a minha alma é doente" Fernando Pessoa

Pedro Barata disse...

Faço minhas as palavras do Dante! ;)
Beijinhos

Teté disse...

A voz lhe suasse trémula?

As aspas servem para afirmar que era um sonho dentro do sonho? O hiato entre o adormecer com certezas e acordar com dúvidas?

Mas gostei do texto e da pintura do António! :)

Beijocas!

escarlate.due disse...

isso era o tipo de coisa impossivel de fazer naquele momento Dante, por desconhecimento total
jokas

escarlate.due disse...

Fernando Pessoa é uma excelente referência, Osbandalhos

escarlate.due disse...

nesse caso Pedro, lê a resposta ao comentário dele :P
beijinhos

escarlate.due disse...

obrigada Tete, corrigido! :)

era bom que tivesse sido apenas um sonho mas... desculpa, não pretendo dizer masi do que ali está.

a pintura é melhor que o texto, sem dúvida!
beijocas

escarlate.due disse...

"masi" deveria ser "mais" e hoje não acerto uma, fruto de estar a trabalhar desde ontem, irra

António Sabão disse...

Bom texto como sempre! :)
Esse tal de António agora deu em "copista"? heheheh
beijinhos

Atlantys disse...

Os teus textos são fantásticos =)
Para quando uma colectânea? =)***

escarlate.due disse...

é melhor perguntares-lhe a ele António :P
beijinhos

escarlate.due disse...

oh Atlantys a colectânea está editada na minha vida, é quanto basta, não sou escritora
beijinhos

pepita chocolate disse...

Lindíssimo o teu texto. Hei-de voltar mais vezes!

bjs

escarlate.due disse...

volta quando te apetecer, Pepita :)
bjs

Sofá Amarelo disse...

A memória preenche-se quando se arrumam as ideias. Também elas - as ideias - têm que estar organizadas e ter o seu próprio espaço - as ideias costumam ser rebeldes, são difíceis de domar, mas elas são o primeiro passo para... descobrir o luar...

escarlate.due disse...

ou não Sofá, ou não...
se fosse assim tão simples a memória...

bjecas disse...

Esse teu 'disco rígido'...

Jinhos miúda

\m/

escarlate.due disse...

de vez em quando "cracha", não é, Bjecas?!
:)