12/05/10

agora que o verão bate à porta que já abri sei lá quantas vezes, mas ele, não sei porquê continua ali especado de dedo na campainha


Agora que o verão se aproxima, a passos lentos, eu diria mesmo que a passos de tartaruga, do tipo um para a frente mal medido e dois para trás bem medidos.

Dizia eu, agora que o verão se aproxima, aproxima mas nunca mais cá chega o raio do verão, deve-se ter distraído pelo caminho com qualquer coisa mais importante que este país à beira mal plantado e quase afogado.

Mas adiante, agora que o verão se aproxima e eu estou em picos para o receber porque já estou fartinha de me armar em couve a ser regada todos os dias.

Onde é que eu ía? Ahhh! Agora que o verão se aproxima e as colegas andam todas entusiasmadas naquelas dietas malucas, já que este ano suprimiram as caminhadas para não estragarem os penteados com as cargas de água que caem constantemente.

Queria eu dizer que agora que o verão se aproxima, façam lá o favor de não abandonar os pobres animaizinhos que durante o inverno vos serviram de companhia, nem os enfiarem no carro à torreira do sol que tem andado a brincar ao esconde-esconde nesta primavera.

E de caminho, agora que o verão se aproxima, também não se esqueçam dos bebes dentro dos ditos veículos, como se eles fossem a carrada de casacos, livros, papéis, chapéus-de-chuva, pacotes de lenços, garrafas de água e afins que eu costumo transportar no banco de trás e que provoca aquele olhar atónito quando algum colega pede boleia.

É que animais e bebes não são bolos nem lasanhas para se colocarem no forno.




20 comentários:

Vício disse...

agora que o verão se aproxima espero que não se esqueçam das cervejas fora do frigorífico!

(será que vale a pena apelar à consciência de alguém? talvez! talvez o efeito dure 1 minuto ou 2...)

AFRICA EM POESIA disse...

Gostei de passar por aqui

deixo poesia...




CONFIANTE


Uma semana vai...
Uma semana vem...
E com ela mais sonhos...
E vamos aprendendo a sonhar...
Para podermos viver
E sentir que a vida é linda
E tem sempre algo de novo...
Para podermos sorrir...
Temos que olhar à nossa volta...
E estar sempre atentos...
Pois algo de novo aparece...
E muitas das vezes...
Nada esperamos...
Na corrida da vida...
Fica pouco tempo...
Mas quando a felicidade surge...
É com a mão aberta...
Que a esperamos...
E a guardamos!...




LILI LARANJO

Sofá Amarelo disse...

O Verão traz a manga curta no bolso e desenha raios de Sol no horizonte... ele que venha depressa e que se demore!!!

Anónimo disse...

Há quem pense que são!

lélé disse...

pois é... dois crimes típicos (mas não exclusivos) de verão, ao que parece... esperemos que a consciência humana tenha aumentado um pouco desde o ano passado... (refiro o ano passado apenas porque foi quando aconteceu o último verão...)

escarlate.due disse...

se durar um minuto por cada apelo e a cada minuto houver alguém a fazer um apelo, valerá a pena VICIO e se não chegar a tanto, mesmo assim acho que valerá a pena

escarlate.due disse...

obrigada AFRICA POESIA

escarlate.due disse...

espero que sim SOFÁ

escarlate.due disse...

eu acho é que há quem não tenha capacidade de pensar ANÓNIMO, infelizmente

escarlate.due disse...

acredito que aumentou LÉLÉ, caramba se não acreditarmos significa que a humanidade estagnou e não posso acreditar nisso

Ana disse...

Há coisas que me ultrapassam, e alguém esquecer-se de um bebe dentro de um carro, seja verão ou inverno, é coisa que não entra nesta cabecinha, por vezes, oca!

(ouvi dizer que ele chega na próxima semana! vai lá abrindo a porta, vá...)

Sandra disse...

É que tens mesmo toda a razão. Este post só me fez lembrar aquelas notícias em que pais deixam os filhos dentro dos carros no Verão e depois acontece o pior. Remorsos para o resto da vida por um momento de distracção ou de esquecimento...

escarlate.due disse...

és tu e eu ANA

(eu também já ouvi dizer muita coisa só que...) :)

escarlate.due disse...

remorsos SANDRA?? haviam de ser ainda maiores, há esquecimentos que não se têm!!!

Nanny disse...

O teu carro, ou o meu, dão perfeitamente para se perder uma criança ou um animal... passado um tempo lá se encontra... eheheh

E nunca mais chega o verão para irmos ao bolo de chocolate, irra!

Já ontem tentei comentar-te e hoje de manhã outra vez, vamos lá ver se hoje passa ;-)

Beijoooooos

escarlate.due disse...

passou :)

bolo de chocolate??? eh pah para isso não preciso de verão :P

Sandra disse...

Sim, claro! Esquecimentos destes não se podem ter nunca. Acredito que são sentimentos que devem consumir esses pais para todo o sempre.

escarlate.due disse...

pois SANDRA, há pais e pais e há pais que não deviam sê-lo... digo eu...

Sandra disse...

Nisso concordo contigo... Mas pronto.

heretico disse...

beijo

um sorriso pelo Verão de passos mal medidos...