12/09/09

11:00am há dois mil anos ou quase...

Como se tornara hábito nos últimos meses, lá estava ele comodamente instalado no seu ninho inundado de líquido e ternura.

Cruzou as pernas, espreguiçou-se tocando com a ponta dos dedos a parede da cavidade que o envolvia. A casa já dificilmente suportava o seu tamanho. Nem se apercebera como crescera desde que minúsculo ali se alojara.

Olhou em redor, ninguém. Mais uma vez não havia ninguém. Já começava a fartar-se daquele mundo solitário onde nem uma alminha lhe dizia bom dia, nem um parceiro para jogar uma cartada, nem um amigo para o acompanhar numa bebida gelada nos dias quentes. E bebida não faltava por ali. Tudo era fluido excepto aquele cordão, espesso, comprido, que o ligava sabe-se lá onde, mas que lhe era vital.

Hoje curiosamente o cordão incomodava-o. As paredes pareciam comprimir-se, apertavam-no como se o sufocassem. As águas agitavam-se como marés vivas em oceano tempestuoso E o pequeno-almoço não havia meio de chegar…

Vasculhou em redor. Nada. Procurou mais acima. Nada. Deitou-se mas continuava desconfortável e a fome apertava-lhe o estômago. Chuchou no dedo polegar, o mais gordinho da mão esquerda. Esticou os pés até sentir a resistência sólida da parede. A ondulação fê-lo balançar sem ponto de apoio seguro. Rebolou numa cambalhota desequilibrada e viu o seu ninho de pernas para o ar.

Repentinamente, a água escoou como se alguém tivesse aberto um ralo ou furado um balão. Mais rápido. Cada vez mais rápido. Alguém estava a roubar-lhe o seu mar. Alguém invadia o seu habitat. Quem se atrevia? Que queriam dali? Escorregou levemente e descobriu a pequena frecha. Espreitou. As paredes comprimiram-se fortemente como que a expulsá-lo da sua própria toca. O seu mundo tornou-se pequeno, ínfimo, insuportável. E a luz intensa que o fitava através da ruptura pareceu atraí-lo, puxá-lo, sugá-lo.

Expulsou-o. 11:00am ouviu-se algures do além num som rouco, desconhecido, aterrorizante.

Atordoado. Perturbado. Desnorteado. Assustado. Confuso.

Desalojado. Esfomeado. Agredido. Abriu a boca e deu liberdade aos pulmões para o mais sonoro protesto que alguma vez patenteou.

AAAHHH finalmente um pequeno-almoço! Diferente do habitual. Uma outra consistência. Um novo paladar. Num recipiente macio que lhe inundava a boca. Acalmou. Deliciou-se. E quando os dedos suaves lhe acariciaram ternamente a face, esboçou um projecto de sorriso, cerrou os olhos e permitiu-se adormecer. Aconchegado no seio que o alimentava, envolvido no olhar que o tranquilizava e nos lábios que carinhosamente pronunciavam filho (um dia muitos anos luz transcorridos, haveria de alcançar o significado...).

Talvez não seja assim tão mau este novo mundinho... - sonhou.


FELIZ ANIVERSÁRIO, TERZO

12 de Setembro de 2009


20 comentários:

Anónimo disse...

Um dos textos mais bonitos que escreveste, Due. Felizardo o destinatário :-)

Parabéns Terzo.

Rafeiro Perfumado disse...

Por momentos pensei que estivesses a descrever alguma experiência passada no WC...

Parabéns ao Terzo e uma beijoca para ti!

Paulo disse...

Aniversário e não se bebe nada?

Parabéns ao Terzo!

Beijo miúda.

Teté disse...

PARABÉNS, TERZO!!! :)

Parabéns também à feliz mamã, que recorda o dia... de outro ponto de vista! :D

Beijocas a ambos, que hoje seja um dia feliz, com muitos mais pela frente!

Maria disse...

Belíssimo! Fico sem palavras...
Parabéns Terzo!

Beijos

P´ Akila disse...

:D
festejamos? :D

Vanda Paz disse...

Muito bonito, muito bem escrito,um momento único, querida amiga.

Parabéns Terzo!

Beijos a todos

mfc disse...

Que linda forma de descrever um nascimento.
Parabéns a quem escreveu, parabéns aos pais e a quem nasceu.

Miriamdomar disse...

Lindo!
Li, vi e senti um nascimento!
Felicidades, para o bébé e para a mâe!
Parabéns ao Terzo!

PB disse...

Parabéns, já atrasados... ;)

vício disse...

os sonhos costumam ser agradáveis...

João disse...

Parabens ao Terzo!

bjecas disse...

Chego sempre tarde às festanças. Imagino que já nem bolo haja...

Parabéns um bocadinho atrasados pá!

\m/

escarlate.due disse...

ANÓNIMO (com nome :) ) felizarda sou eu e bonito é possível que seja porque se sente

RAFEIRO és sempre a mesma treta pah!

PAULO chegaste atrasado, já bebemos nós

TETÉ sem dúvida que a mamã também estará feliz, merece parabéns e recorda o dia mas aqui não se trata "desse recordar" é apenas um texto dirigido com carinho a alguém de quem se gosta (muito!!!)

MARIA obrigada

P'AKILA todos os dias :)

VANDA um momento de ternura (é isso)

MFC reencaminho os parabéns ao Terzo e aos pais dele, fico-me pela parte da escrita

MIRIAM chamar bebe a 1.80m... :) obrigada

PB vêm sempre a tempo

VICIO especialmente quando se tornam reais

JOÃO reencaminho

BJECAS viesses mais cedo :)

Nilson Barcelli disse...

Que me lembre, querida amiga, este é o melhor "Feliz aniversário" que alguma vez já li.
Escreveste um magnífico texto, muito criativo e delicioso para ser lido e relido.
Parabéns para ti e para o aniversariante, ainda que atrasado...
Um beijo.

escarlate.due disse...

Obrigada NILSON e reencaminhei os parabéns que vêm sempre a tempo

Å®t Øf £övë disse...

Escarlate,
Parabéns ao TERZO, e Parabéns à DUE.
Está simplesmente fantástica e original esta tua visão dos momentos do nascimento de um bébé.
Só mesmo tu com a tua imaginação e criatividade o conseguias fazer desta forma. Mas a verdade é que vindo da cabeça de quem vem, já nada me admira...

:)


Beijinhos.

escarlate.due disse...

oh Å®t, tu estás a elogiar a minha cabeça ou... :)
os parabéns são todos dele
obrigada

Paulo disse...

E voltares a escrever?

Å®t Øf £övë disse...

Escarlate,

Where are you???!!!

Kiss.