23/02/10

Calamidade?

Já hoje ouvi (e li) não sei quantas críticas acerca da deixa do Presidente do Governo Regional da Madeira e das notícias (ou falta? delas).

Ora vamos lá por partes.

A maior riqueza do arquipélago está no turismo! É essa a maior fonte de alimento dos madeirenses! “calamidade é decretar calamidade “ sim seria. Porque decretar calamidade afugentará essa tal fonte de rendimento que alimenta um povo. Será assim tão difícil entender? É? Então eu reformulo a pergunta: o continente tem meios suficientes para alimentar os milhares de madeirenses se o turismo faltar na Madeira? Prefiro vê-los recuperar a custo, erguerem-se com esforço do que vê-los endividarem-se sem depois terem forma de saldar contas. É que neste mundo, ninguém dá nada a ninguém, tudo se troca... e lá fora cobram elevados juros pelas verbas "dadas"

Não, não sou advogada de defesa do Sr João Jardim, mais não fosse porque não lhe aprecio a frequente falta de educação, mas reconheço-lhe o mérito de ter feito crescer um arquipélago e de ter agora a lucidez necessária para arregaçar de novo as manguinhas e pedir a serenidade possível, a força de vontade para trabalhar duro (porque será duro sim), a ajuda estritamente necessária e comedida em vez de alarmismos inúteis, perigosos decretos e empréstimos suicidas.

Quanto às notícias (ou falta delas)… Uma coisa é informar, noticiar, a outra é esmiuçar, mediatizar. Efectivamente foi (é) uma tragédia o que ocorreu na Madeira mas… é mesmo importante saber o número exacto de mortos? Se morreram afogados, esmagados, encurralados, ou o raio que o parta?? Se estão 20 a boiar no oceano, 40 do parque de estacionamento ou 50 debaixo dos destroços? Não! Isso não vai devolver-lhes a vida nem reconstruir coisa alguma. Vai servir apenas para aumentar os fundos da imprensa mediática porque alimenta o diabo da propensão que alguns seres desocupados têm para se regalarem com a desgraça alheia.

Mas porque raio é que línguas afiadas e bom senso raramente andam de braço dado?!



Ahh e já agora faço minhas estas palavras e acrescento outra: talvez agora (Sr João Jardim relembre esta aos conterrâneos) percebam que há que avaliar bem quando se pretende alterar o curso da natureza ou construir em cima dela…



4 comentários:

Teardrops disse...

Mainada! Como diria o gajo... que não tarda nada vai ficar de batinha... :P

Agora, ridiculo mesmo é o facto das companhias aéreas nacionais porem no ar campanhas de promoção de voos para a Madeira... agora?????? Só se for para fazer voluntariado!

Beijinhoooooooos

António Sabão disse...

Totalmente de acordo! :)

Beijinho!

heretico disse...

muito bem. que não doa a voz, nem te falte a vontade...

beijo

calamity jane disse...

Oui??? C'est moi...

(desculpa, querida, não resisti!)